• musica1 DE SEGUNDA A SEXTA, DAS 08:00h às 11:00h - UM SHOW DE MUSICALIDADE E INFORMAÇÃO. APRESENTAÇÃO: MARCOS BRITO.
  • musica2 DE SEGUNDA A SEXTA,Das 11:00h às 14:00h - O MELHOR DA MÚSICA POPULAR BRASILEIRA - APRESENTAÇÃO: DUDA SOUZA
  • musica3 DE SEGUNDA A SEXTA,Das 14:00h às 17:00h - SUA TARDE COM MUITO MAIS ALEGRIA!!! APRESENTAÇÃO: VÂNIA SANTOS
  • musica3 DE SEGUNDA A SEXTA,Das 17:00h às 19:00h - APRESENTAÇÃO: LAERTE MOREIRA
  • musica3 DE SEGUNDA A SEXTA,Das 19:00h às 20:00h
  • musica3 DE SEGUNDA A SEXTA,Das 20:00h às 22:00h - APRESENTAÇÃO: PASTOR EDMILSON
  • musica1 DE SEGUNDA A SEXTA,Das 22:00h às 00:00h - O Melhor da Música Romântica no Clima da sua Noite - APRESENTAÇÃO: FLÁVIO COSTA
  • musica1 SÁBADO, DAS 05:00h ÀS 08:00h - APRESENTAÇÃO: NILDO SANTOS
  • musica1 SÁBADO, DAS 08:00h ÀS 09:00h - APRESENTAÇÃO: VALDIR CAVALCANTE

Brasil registra quase seis mortes por hora

Quase seis pessoas foram assassinadas, por hora, no Brasil no ano passado, apontam dados da oitava edição do Anuário de Segurança Pública, divulgado hoje (11) pela organização não governamental Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). Foram 50.806 vítimas de homicídios dolosos, ou 5,8 pessoas a cada hora, o que significa uma taxa de 25,2 mortes para cada grupo de 100 mil pessoas. Na comparação com os dados de 2012 – quando foi registrada taxa de 25,9 óbitos por grupo de 100 mil, houve redução de 2,6%.

Em números absolutos, no entanto, houve aumento de 1,1%, tendo em vista que foram contabilizados 50.241 de vítimas no ano anterior. Para a organização, a redução no indicador per capita pode ser explicada pelo crescimento da população. A FBSP avalia que é possível reduzir as taxas de homicídios em 65,5% até 2030, o que implica uma redução anual de 5,7%. A projeção é feita a partir dos números do estado de São Paulo, que reduziu os índices desde a década de 1990.

São Paulo continua sendo o estado com menor taxa de vítimas, com 10,8 mortes a cada 100 mil habitantes. Na comparação com 2012, quando foi verificada uma taxa de 12,4, houve recuo de 12,9%. Em números absolutos, o total de vítimas caiu de 5.209 para 4.739, uma melhora de 9,02%. A organização avalia, no entanto, que a qualidade de informações do governo paulista está no Grupo 2, o que indica que pode haver subnotificação.

Alagoas tem a pior taxa do país, com 64,7 vítimas para cada 100 mil habitantes, o que representa alta de 0,4% em relação a 2012. A Bahia, por sua vez, é o estado com maior número absoluto de mortes, com um total de 5.440 vítimas. A taxa de homicídio é 36,1. Apesar de alarmante, na avaliação do fórum, os números representam retração de 7,47% no total de vítimas e 12,9% na taxa de mortos em relação a 2012.

Facebook Player HD

Localização